Análise de Civil War II n.º 4: Nothing is Absolute (Guerra Civil II: Nada é Absoluto)

* Traduzido do site Comicbook.com, artigo original de 05/08/2016

Matthew Mueller- 05/08/2016

Civil War II está fazendo exatamente o que se propôs a fazer, oferecendo um ponto de conflito que faz o leitor questionar até mesmo o ponto de vista do seu personagem favorito. Brian Michael Bendis complica ainda mais as coisas com uma análise detalhada das capacidades de Ulysses, tornando as coisas ainda mais sombrias.

civil-war-ii-4-iron-man-193750.jpg

“Estou tão perdido. Preciso de sua ajuda.”

Tony Stark está no seu momento mais sério aqui e, aparentemente, se conforma com a realidade de um mundo pós-Rhodey e Banner. Já se passou a fase de agressão pura e simples da edição n. 2 e da imprudência na edição n. 3, e em seu lugar, ficamos com um Stark  afundado na frustração de saber que ninguém mais vê a situação da mesma forma que ele.

civil-war-ii-4-3-193751.jpg

“Eu queria estar errado,  assim poderia voltar para minha vida e tirar uma soneca”

É aqui que ele se torna decidido por não seguir as visões de Ulysses, como se elas tivessem sido esculpidas em pedra. É um argumento fundamentado, e ainda que os meios através dos quais ele descobriu essas informações são um pouco antiéticos, ele admite abertamente que suas ações anteriores estavam mais para o estilo de Doutor Destino, então pelo menos ele saiu da fase de negação.

O roteirista Bendis não esconde exatamente com quem Stark está falando, mas a revelação vale a pena mesmo assim. É uma grande ligação com o evento original, mas a maior surpresa é que Carol estava lá o tempo todo.

civil-war-ii-4-4-193752.jpg

“Eu sabia qual era a probabilidade de ela fazer isso”

Vamos dar um segundo para reconhecer o quão linda tem sido a arte dessa saga até agora, sob responsabilidade de David Marquez e Justin Ponsor. A Capitã Marvel de Marquez tem uma confiança firme e um ar de superioridade constante em cada quadrinho e ele transmite as emoções desses personagens através de suas expressões e jeito de ser com bastante habilidade. A equipe de arte está fazendo um trabalho excepcional.

Pode-se argumentar que Carol vai contra sua própria opinião agora, especialmente depois que ela recebeu a confirmação de Hank McCoy de que que os julgamentos de Stark a respeito das habilidades de Ulysses são realmente precisas. Neste ponto, o conflito é inevitável, com a solução real residindo em algum lugar entre os argumentos de ambos os heróis.

A entrada surpresa na última página garante que a próxima edição deve ser bombástica.

Classificação 4 de 5 estrelas

Escrito por: Brian Michael Bendis

Arte por: David Marquez

Cores por: Justin Ponsor

Letras por: VC Clayton Cowles

Originalmente publicado no limboreverso.blogspot.com, do mesmo autor e tradutor